quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Hello Kitty...



Hoje foi um dia diferente. Acordei estranhamente alegre, com um sorriso na cara, que apenas uma pessoa, o meu primo Paulo, sabia o que significava. (Bolas, as saudades são muito malvadas!) E a manhã lá se passou, entre o sempre igual e o faz de novo do ramerrame do trabalho. Entretanto, descobri que a surpresa que tinha preparado para a T. estava publicada e bem bonita, por sinal.
Decidi, entretanto, comprar um telemóvel porque o meu já teve os seus tempos de felicidade. Agora estava a sofrer de uma morte lenta e penosa…Vamos entregá-lo ao descanso e bora lá comprar um telemóvel! Na loja, a espera sempre longa. Não há um dia que eu vá ali e que não demore, mas como hoje estava bem disposta e sem nada para fazer, resolvi ouvir as conversas dos outros… (Sim, tenho esse vício, quando estou a “apanhar secas” ouço conversas). Estavam lá dois rapazitos, com cabelos penteados à vampiro do filme Crepúsculo, `a espera de serem atendidos. De repente um diz para o outro, enquanto olhava para a montra da loja ao lado: Vou comprar um telemóvel da Hello Kitty para engatar gajas. O outro respondeu alguma coisa entre dentes e ouviu a mesma resposta que eu: “Sim, elas olham para o telemóvel e dizem ai tão giro, a hello kitty, e já está…”
Já está??? É assim que os jovens universitários de hoje pensam conquistar, dar a volta, engatar, o que seja, as raparigas??? Futuros médicos, vim a perceber mais tarde, pois falavam nas frequências… Hello Kitty, de laço na cabeça, muito cor-de-rosa, boa técnica de engate? Nunca a tinha visto nessa perspectiva! (Felizmente!)

1 comentário:

euzinha testemunha (mas não de J....) disse...

Esqueseste-te de um acontecimento muito importante!
Sim, é isso mesmo!
Sim, estás muito perto!
Sim, não chira bem!
BOA!!!
É isso mesmo !!
;)