domingo, 13 de setembro de 2009

Porque

Porque estou na Cova e porque me apetece...

O sorriso
Creio que foi o sorriso, sorriso foi quem abriu a porta.
Era um sorriso com muita luz lá dentro,
apetecia entrar nele, tirar a roupa,
ficar nú dentro daquele sorriso.
Correr, navegar, morrer naquele sorriso.

Eugénio de Andrade

3 comentários:

Nanes! disse...

obrigada viu?!

bjinho

Asiram disse...

lindo,sorri pra mim....ahahahah

barrigacheiadefelicidade disse...

este é um dos meus poemas favoritos de sempre...
bjs